sexta-feira, julho 21, 2017

LULA E BANDIDOS À SOLTA, TUDO A VER



Percival Puggina.

         Se você ainda não ouviu falar em desencarceramento, prepare seus olhos, ouvidos, nariz e garganta para o que vem por aí.
         Nada disso é recente, tudo está entre as causas da nossa insegurança e precisa de Lula em liberdade para que o processo se complete. Lula atrás das grades sinaliza o capítulo final de uma era na política brasileira, encerrando muitas carreiras, idéias e militâncias impulsionadas pela energia que dele emanava.
         Desencarcerar? Soltar presos? Polícia prende, justiça solta? Agenda pelo desencarceramento? Que diabos é isso? Os promotores de Justiça do MP/RS, Diego Pessi e Leonardo Giardin de Souza, abriram a janela sobre o tema. Ambos são autores do livro “Bandidolatria e Democídio, ensaio sobre garantismo penal e criminalidade no Brasil”. Em recente artigo, chamam a atenção para a existência de uma tal “Rede Justiça Criminal, ente fantasmagórico que diz reunir oito ONGs preocupadas com o sistema criminal brasileiro (prisaonaoejustica.org). Dentre as reivindicações da abnegada militância, destaca-se a inarredável proibição de prender, pois cadeias superlotadas geram “mais violência”, sendo necessário apostar em mecanismos que dificultem a prisão ou induzam a soltura de criminosos”. Tudo que você quer, não é mesmo, leitor?
         Em novembro de 2013, essa rede criou uma Agenda pelo Desencarceramento. Seus autores consideram “chegada a hora de reverter a histórica violência do país contra as pessoas mais pobres e, com seriedade, fortalecer a construção de um caminho voltado ao horizonte de uma sociedade sem opressões e sem cárceres”. Para isso, pontuam as seguintes metas:
• suspensão de qualquer investimento em construção de novas unidades prisionais;
• restrição máxima das prisões cautelares, redução de penas e descriminalização de condutas, em especial aquelas relacionadas à política de drogas;
• ampliação das garantias da execução penal e abertura do cárcere para a sociedade;
• vedação absoluta da privatização do sistema prisional;– Combate à tortura, desmilitarização das polícias e da gestão pública.
         Enquanto os brasileiros convivem com níveis de violência e insegurança superiores aos de regiões em guerra, influentes organizações assombram a sociedade com tais propostas. Por quê? Marxismo em grau máximo.
         Para ideologias coletivistas, o indivíduo é um anacoluto, uma inconsistência na gramática marxista, onde somente o coletivo tem importância. O indivíduo é descartável por ser portador de interesses conflitantes com os do coletivo onde deveria estar inserido. Por isso, a Sibéria, os gulags, as clínicas psiquiátricas. Por isso, para a turma do desencarceramento, violência não é praticada por quem está nas ruas roubando, matando, estuprando, apavorando a sociedade; violenta é a sociedade que encarcera aqueles a quem, antes, “excluiu”. O criminoso seria produto geneticamente inevitável dessa sociedade que só será curada pelo mergulho no socialismo (é assim que eles chamam o comunismo). De modo simétrico, está tudo na Teologia da Libertação, absolvendo, o pecado individual em nome de um impessoal e coletivo pecado social que só se redime com os “oprimidos, conscientizados, lutando por sua libertação”.
         Cansei de escrever e dizer que era exatamente isso que estava por trás da leniência da legislação, da falta de investimentos no sistema prisional, da inoperância do Fundo Penitenciário Nacional; que era exatamente isso que promovia a superlotação e a gritaria dos militantes de direitos humanos ante o desejado produto de sua estratégia: solta todo mundo que assim não dá.
         Agora, tanto o método quanto a finalidade estão muito claros, com agenda redigida por seus articuladores, que, obviamente, permanecem à sombra de suas ONGs. Durante 13 anos de governo petista, essa estratégia foi determinante da crise que nos levou à condição de 11° país mais inseguro do mundo, com o maior número de homicídios e 19 das 50 cidades mais violentas do planeta. Por enquanto. O fim da era Lula é o fim desse macabro programa. 
* Percival Puggina (72), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

Clubinho do Recreio apresenta a peça “As Aventuras de Robinson Cruzoé” neste domingo

               Atração gratuita do Recreio Shopping começa às 16h



 Neste domingo, 23 de julho, o Clubinho do Recreio recebe as Companhias de Teatro Nosso Riso e Macacos de Imitação para apresentarem a peça “As Aventuras de Robinson Cruzoé”. O espetáculo é gratuito e começa às 16h.



Na história, Robinson é um náufrago que se perdeu do pai aos 10 anos, quando eles cruzavam o oceano durante uma violenta tempestade. 


Ele passou 28 anos de solidão, morando em uma casa na árvore, até que um dia conhece um nativo e se tornam grandes amigos. Ao lado de Sexta-feira, como é apelidado, nosso herói enfrentará grandes aventuras e vislumbrará a chance de voltar pra casa.



O Clubinho do Recreio é um evento feito especialmente para as crianças se divertirem com atividades educativas e lúdicas no Recreio Shopping. Dominicalmente, sempre às 16h, a criançada poderá se reunir para curtir oficinas, espetáculos teatrais, shows de mágica, música, dança, entre outras atividades.



O evento tem classificação livre, com entrada gratuita. O Recreio Shopping fica na Avenida das Américas, 19.019, Recreio dos Bandeirantes – Rio de Janeiro. Mais informações pelo telefone (21) 3906-3246 ou pelo site http://www.recreioshopping.com.br/.



Clubinho do Recreio
Data: 23/07 (domingo)

Horário: 16h

Local: Recreio Shopping, 2º piso

Endereço: Avenida das Américas, 19.019, Recreio dos Bandeirantes – Rio de Janeiro

Evento gratuito


COLUNA ESPAÇO MOTOR

João Mendes









       O EQUIPADO CHEVROLET ONIX
EFFECT


O Chevrolet Onix é o carro mais vendido do Brasil, foi assim no ano passado e continua disparado na frente nestes 6 meses concluídos de 2017. A Chevrolet vem trabalhando bem na venda do modelo para frotas e para o público e, apesar de não ser um compacto dos mais baratos, tem tido um sucesso de vendas. Ajuda o fato de toda rede Chevrolet só ter esse modelo compacto enquanto Fiat tem Palio, Uno e Mobi e a Volks tem Gol, Fox e Up, por exemplo.


 O Onix mais barato custa R$46.150 e desta vez eu testei a versão Effect, comercializada apenas nas cores Branco Summit e Vermelho Carmin, e que tem farta lista de equipamentos e acessórios e seu preço é R$54.990. Essa versão tem motor 1.4 de 106 cavalos e transmissão manual de 6 velocidades. Essa transmissão ajuda na economia de combustível e principalmente na estrada você pode sentir melhor sua utilidade. Para maior conforto e segurança essa versão tem alarme Anti-furto, faróis e lanterna de neblina, monitoramento de pressão de pneus, faróis com superfície interna preta (máscara negra), luz diurna em LED, maçanetas externas na cor do veículo, ar condicionado, direção elétrica Progressiva, trava elétrica nas portas,  Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo, sensor de estacionamento traseiro, o concierge eletrônico OnStar Pacote Exclusive,   espelhos retrovisores externos elétricos na cor preto High Gloss, grade frontal com detalhes preto High Gloss, rodas de alumínio aro 15" com pintura exclusiva, Computador de bordo, vidro elétrico nas portas dianteiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave, bancos de tecido com revestimento premium, Teto pintado em preto, adesivos Effect no capô, nas laterais e traseira, Volante base chata multifuncional com com controle de áudio e bluetooth. O Onix tem um desenho moderno que agrada e a versão Effect, com suas faixas, rodas exclusivas aerofólio e spoiler na cor preta e todos esses equipamentos e acessórios oferece a possibilidade do comprador  ter um Onix mais exclusivo e com aparência mais esportiva. A Chevrolet ainda oferece uma versão mais cara que a Effect que é a Activ, a versão aventureira, que custa a partir de R$59.950.  



                                      A PICAPE DA MERCEDES-BENZ


A Mercedes-Benz anunciou no último dia 18 a sua picape média de luxo, aliás a primeira neste segmento. Denominada Classe X o modelo será produzido na Argentina, na fábrica de Santa Isabel – Córdoba, e chega ao Brasil em 2019. Também será produzida na Espanha para atender o mercado europeu que já terá ela nas ruas no final deste ano. A plataforma foi desenvolvida pela aliança Nissan Renault e é a mesma da Nissan Frontier e da futura Renault Alaskan.

 A Classe X, tem linhas com o DNA da Mercedes, vendo o desenho da dianteira não se tem dúvida de que é uma Mercedes-Benz, já a traseira tem desenho simples e pode ser confundida com uma de outra marca. A primeira motorização será um 2.3 litros, 4 cilindros, turbo diesel da Nissan que terá 162 cavalos e equipara a Classe X 220D e terá 190 cavalos na X 250D.


 Outras motorizações virão depois, a X200 terá motor a gasolina de 166 cavalos e a X350D um V6 diesel também originado na Nissan. Todas as quatro versões terão tração 4X4. Eu acho que a Mercedes-Benz esta acertando com este lançamento porque neste segmento das picapes médias, uma parcela considerável dos proprietários compram só para tirar onda e tem grana para comprar uma chamada Premium que até hoje não apareceu no mercado. Com esta opção disponível muita gente fina que gosta de picape e de um veículo 4X4 vai ter seus anseios atendidos e com o agro negócio bombando aqui no Brasil o modelo terá sucesso certo.


CHERY COMEMORANDO


A Chery Brasil, primeira montadora chinesa a construir fábrica no Brasil, entrou para o ranking das 20 marcas mais vendidas no Brasil. O resultado se deve ao New QQ, fabricado por aqui, que tem preço inicial de R$25.990 e é um dos carros mais econômicos vendidos no Brasil. No mês de junho 467 unidades do New QQ foram comercializadas e assim a Chery superou marcas mais conhecidas como Suzuki, Volvo, Lifan e JAC. Atualmente a Chery comercializa os modelos New QQ,  Celer Hatch e Celer Sedan. 


MOTOS COM ANTENA OBRIGATÓRIA


Por causa dos infratores que soltam pipas ao vento com linha proibida, que acaba cortando e matando motociclistas, foi feita uma lei no Rio de Janeiro que obriga todos os motociclistas a usarem uma antena especial para aparar a linha e cortá-la impedindo que ela atinja o motociclista. Em vez de prenderem os infratores obrigam os motociclistas a usarem um novo equipamento só que essas linhas também danificam os retrovisores das motos, dos carros e também outras partes, dependendo de onde elas se enroscam. Prender o infrator que usa esse tipo de linha nem pensar. 


TESTANDO....


Posso adiantar que na próxima edição da coluna vou comentar o lançamento do Novo Ford Ecosport e também o teste que estou fazendo com a moto Honda CRF 1000L Africa Twin.

Mulheres Lindas, Felizes e Poderosas



Márcia Schweizer








O mundo do futebol não é mais o mesmo, está cheio de mulheres bonitas na plateia e no campo. O futebol feminino é um sucesso e nossas campeãs fazem a alegria de muitos torcedores. Assim, a “Mulher Linda, Feliz e Poderosa” desta semana não poderia ser diferente e enquadra-se nesta categoria de gata do futebol.







Juliana Rodrigues Finizio é uma gandula do Vasco da Gama, loura espetacular, de pernas grossas, cintura fina e cabelos compridos, que atrai os olhares e os suspiros dos marmanjos na hora que corre atrás da bola perdida. 










Dizem que o termo “gandula” originou-se do nome de um jogador de futebol argentino (Bernardo Gandulla)






que veio para o Brasil e nunca era escalado, então ficava assistindo aos treinos e aos jogos e sempre pegava as bolas que escapuliam, para devolvê-las ao campo.





Juliana tem 22 anos, é taurina e vascaína doente. Está no quarto período da Faculdade de Educação Física e tem muita vontade de trabalhar com crianças nesta área. Mora no Rio de Janeiro, carioca e frequenta a Academia New Heavy Duty em Copacabana. Seu instagram é @julianafinizio, sua rede social preferida, onde tem muitos fãs, pois gandula para seu time do coração, sendo assim bastante conhecida.




 



Nessa rede social ganhou alguns patrocínios e sempre posta dicas para seus seguidores. Ama viajar e conhece o Nordeste brasileiro, preferindo Maceió e Porto de Galinhas, onde banha-se nas piscinas de águas quentes e mornas.

Gosta de comer todo o tipo de comida, desde japonesa à italiana (ama pizza) e não se preocupa com a balança, pois está sempre linda de morrer.






Vai muito ao cinema com seu namorado “que é um rapaz lindo”, como ela mesma afirma. Pratica esportes desde menina e ama handebol e futsal.
Essa é Juliana Rodrigues Finizio, a “Mulher Linda, Feliz e Poderosa” desta
coluna.