quarta-feira, fevereiro 22, 2017

A TURMA DOS JATINHOS E HELICÓPTEROS

Percival Puggina


         Sempre que você escutar um economista dito "desenvolvimentista" saia correndo, chame a mulher e as crianças e grite por socorro, SOS, mayday, salve-se quem puder!

         Naqueles tempos em que Lula ainda tentava mostrar o petismo à nação como experiência bem sucedida, malgrado o crescimento fosse tipo merengue e a prosperidade não passasse de contas penduradas num prego, ele surtava dizendo que, graças aos governos do partido, pobre já andava de avião. Doze milhões de desempregados depois, contas ainda no prego da inadimplência, as companhias aéreas devolvem aviões e reduzem o número de voos, mas... há uma parcela da elite política brasileira que só viaja de jatinho.

         Ah, as nossas instituições! Desgraçadamente, nos últimos anos, elas se corromperam em proporções ainda não plenamente descritíveis. A sociedade, que não lhes devotava confiança, perdeu-lhes o respeito. Se o leitor destas linhas for parlamentar, ministro de Estado, membro das cortes superiores do Judiciário, agente público de alto escalão e considerar excessivamente duras estas palavras, fale com as pessoas. Ouça o povo nas ruas. Será ainda mais contundente o que vai ouvir. O descaramento e a inépcia de muitos que se instalam nessas posições para os piores fins, totalmente desprovidos de espírito público, atinge a todos e abala os pilares da Ordem, da Política e do Direito. Produz o que hoje se observa no país.

         E não é só por causa da corrupção! A sociedade também não tolera mais os contracheques de centenas de milhares de reais, recheados com "indenizações", parcelas adicionais, gratificações especiais e jeitosas manobras. Divulgada esta semana, não mostrava a folha de pagamento do TJ sergipano um pouco mais disso, com remunerações de centenas de milhares de reais aos desembargadores? Pergunto: prodigalidades assim não se repetem em toda parte, gerando ganhos impensáveis fora do serviço público, cujo patrão, o povo, desconhece os absurdos que paga? A nação enoja-se desses esbanjamentos, dos cartões corporativos, dos voos em primeira classe, das aposentadorias privilegiadas, e da conduta dessa elite cuja boa vida, ela, a nação, custeia com o gotejado suor de seu rosto e com a sola do sapato gasta nas calçadas do desemprego.

         Notórias personalidades, além do privilégio de foro que as oculta da efetiva justiça, desfrutam do raro privilégio de se eximirem do convívio social nos saguões dos aeroportos e nas filas de embarque onde não seriam bem acolhidas pelo Brasil que se leva a sério e exige respeito. Então, os senhores da casa grande republicana, andejam pelo país para reuniões de proselitismo e mentira, festejados por cupinchas à espera da própria vez. E como viajam? Em jatinhos, helicópteros e voos fretados, às custas de terceiros, quartos e quintos, entre os quais, quase certamente, nós mesmos, a turma da senzala.   
_______________________________
* Percival Puggina (72), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A tomada do Brasil. integrante do grupo Pensar+.

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

COLUNA ESPAÇO MOTOR

João Mendes
 







RENAULT CAPTUR CHEGOU PARA ABALAR   
                 
A moda dos utilitários esportivos continua firme e para apimentar a briga no segmento a Renault lança o Captur que tem predicados para bater seus concorrentes. Primeiro é bom explicar que se você já viu, ao vivo ou através de fotos, o Captur vendido na Europa fique sabendo que o Captur brasileiro é maior, ele é montado na plataforma do Duster e não na do Clio IV como o europeu. São 20 cm a mais na carroceria desenvolvida no Brasil mantendo as linhas gerais do Captur europeu e a nova identidade visual da marca Renault. Ele tem todas as características de um SUV com design moderno e impactante, rodas de 17”, conectividade através do Media Nav, simples e intuitiva, espaço interno e conforto com o maior entre eixos do segmento, controle de estabilidade e controle de tração de série, assistente de partida em rampa, 4 air bags, lanternas traseiras de LED, faróis auxiliares que se direcionam para o lado que vai se fazer a curva e muito mais.
 
 
Duas motorizações estão disponíveis, 1.6 SCe Flex de 120 cavalos e câmbio manual, para quem prioriza a economia e gosta de passear sem exigir muito desempenho,  e 2.0 de 148 cavalos e câmbio automático, para quem quer encher mais o carro com bagagens e passageiros para depois pegar a estrada, subir serras com mais disposição enfim, para quem quer desempenho.  Daqui a três meses também estará disponível a versão 1.6 com câmbio automático CVT.  Todas as versões do Captur tem o sistema Energy Smart Management (ESM) de regeneração de energia, desenvolvido na Fórmula 1 que chega aos carros da Renault de produção. Durante a desaceleração do carro, quando o motorista retira o pé do acelerador, o motor continua girando sem consumir combustível. Nesse momento, o alternador automaticamente passa a recuperar energia e enviá-la para a bateria, que aumenta sua carga sem consumo de combustível. Durante a aceleração, o alternador não precisa “roubar” energia do motor para enviar à bateria, já que houve a carga na desaceleração. O Captur tem 4,33 m de comprimento e 2,67 m de entre-eixos o que acomoda melhor 5 passageiros. O banco do motorista é o mais alto da categoria ficando a 70,8 cm do solo e o porta-malas também supera a concorrência com capacidade de 437 litros. O Captur também lança uma nova nomenclatura para os carros da Renault e assim a versão de entrada é a ZEN 1.6, câmbio manual, que custa R$78.900 e tem como opcionais sistema Media Nav e câmera de ré por R$1.990 e pintura Biton ( carroceria de uma cor e teto de outra ) por R$1400. E a versão INSENSE 2.0, câmbio automático,  custa R$88.490 e tem como opcionais os bancos de couro por R$1.500 e a pintura Biton por R$1.400, O Captur tem 3 anos de garantia mas para quem comprar no período de lançamento a Renault vai dar 5 anos de garantia total. As concessionárias da marca já tem o modelo para test drive , as revendas da região sudeste já estarão entregando as primeiras unidades ainda em fevereiro e até o meio de março todas as concessionárias do Brasil já estarão abastecidas do novo modelo.
 
              EDUARDO REGAL, MINHA SINCERA HOMENAGEM  
             
Foi no final da década de 1970 que fiquei surpreendido ao ver um piloto de kart aparecendo com uma certa frequência, num programa de esportes da extinta TV Tupi, que só falava de futebol. O nome desse piloto é Eduardo Regal que nos deixou recentemente.
 
Simplesmente Regal, como eu o chamava, era um apaixonado pelo automobilismo, foi campeão de kart e andou duelando com uma geração importante de pilotos, inclusive Ayrton Senna. Depois foi participar da categoria Turismo do automobilismo carioca, e com muita dedicação e paciência foi coaching de seu amigo e padrinho de seu filho, José Augusto Wanderley, no Carioca de Turismo, passando seus conhecimentos e dando aquela força importante para um piloto em início de carreira, e fora das pistas foi o criador dos programas Test Drive e Karting exibidos no canal Sportv. Também foi responsável pela execução de ações que a Fiat fazia no programa Big Brother Brasil e recentemente dicas de direção no programa É de Casa, os dois da Rede Globo. Foi o organizador do Rally Universitário Fiat que aconteceu em várias cidades brasileiras por alguns anos e sempre esteve envolvido em projetos e eventos, como Campeonato Brasileiro de Drift, tendo sempre o automobilismo como tema. Viajamos muito pelo Brasil, Estados Unidos e Europa para cobrir a participação de pilotos brasileiros em diversas modalidades de competição e confesso que sempre foi um companheiro de viagem exemplar, com um altíssimo astral e tiradas super divertidas. Desde janeiro ocupava um posto no marketing da Riotur, posição que poderia ajudar a “empurrar” o projeto do novo autódromo do Rio de Janeiro, que teima em não sair do papel. Curiosamente a minha última corrida no automobilismo foi a última corrida dele também, participamos em 2002 da Copa Clio Brasil no Rio de Janeiro. Pois é, o Regal foi embora , deixou todos tristes e chocados com seu desaparecimento e fica aqui a minha homenagem a esse profissional competente que tenho certeza foi acelerar em outro plano.                                  

TORO CADA VEZ MAIS FORTE        
      
A picape Fiat Toro tem sido um sucesso de vendas. É a segunda picape mais vendida no Brasil, e cada vez que testo uma nova versão fico mais certo de que a Fiat acertou a mão com este veículo que é bonito, seguro, confortável, prático e tem motorização para todos os gostos. Agora estou testando a versão 2.0 Flex com câmbio automático. Em breve coloco neste espaço os meus comentários.

Mulheres Lindas, Felizes e Poderosas

Márcia Schweizer









Verônica Pacheco, a “Mulher Linda, Feliz e Poderosa” desta semana nasceu em Campo Mourão/PR, foi criada em Curitiba e há oito anos mora no Rio de Janeiro, no Recreio dos Bandeirantes,
 






bairro pelo qual é apaixonada e onde diz sentir-se de férias de cinco em cinco dias.
Segundo ela, ali existe o verde, uma praia maravilhosa, cachoeiras, sol, calor, trilhas, é rodeado por shoppings com ótimos restaurantes, cinemas, praias e boas lojas.
 
 
Seu bairro querido permite que ela aproveite ao máximo a natureza, que caminhe bastante, ande descalça na praia, pratique esportes, pedale sua bike e se recorde do tempo em que foi campeã de nado sincronizado.
 







Por isso, ela está acostumada aos aplausos e costuma “chegar chegando”, mostrando toda sua beleza, seu carisma e sua elegância.
 
 
 
 
 
 
 
 
Verônica Pacheco é formada em História e Jornalismo e especializada em Sociologia Política, além de ter duas formações em Coaching, uma inclusive pelo Instituto Internacional Japonês de Coaching.
 
 
 Há 15 anos possui sua empresa de Assessoria de Imprensa (Toda Comunicação) trabalhando muito com coachees, saúde e beleza. É aquariana com ascendência em leão e esforça-se para conseguir todos os louros em sua vida particular e na profissão. Gosta de viajar,
 





porém não fica mais de uma semana fora de sua casa, adora conhecer novos lugares, nova culinária, novas pessoas. Já foi à Argentina, Paraguai, Estados Unidos e ao Uruguai e pretende conhecer muitos países. No Brasil adorou a praia da Rosa, de SC e Bonito no MS. Quanto a restaurantes, gosta da comida do Outback Steakhouse e do Cervantes. Vai ao cinema e prefere os filmes que a fazem pensar e daqueles que têm muito beijo na boca, muita pegada, assim como os que mostram pessoas e lugares bonitos.
 
 Ama música clássica, Jazz e MPB anos 80. Seu poeta contemporâneo é Nando Reis e a banda de sua preferência é “Skank”. Malha diariamente no Shopping América e frequenta o primeiro horário, para ter o resto do dia dedicado ao seu trabalho.
 
 Usa roupas da “Chifon”; vai aos mercados que encontra no caminho; é messiânica, mas atualmente não praticante; gosta de fazer amigos e conservar os que têm; atualmente deseja chegar ao ápice de sua feminilidade sendo mãe, o que deve acontecer ainda este ano.
Verônica Pacheco é uma pessoa incrível: bela, com lindas curvas, cabelos bem cuidados, sorriso perfeito, generosa, altruísta e por isso é a “Mulher Linda, Feliz e Poderosa” desta coluna.

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Plateia em FOCO

Luthy Fernandes


 

 
 
 
 
 







ÚLTIMA SEMANA PARA ASSISTIR “RENATO RUSSO - O MUSICAL", NO TEATRO RIACHUELO (RJ) 

 
Quem viveu nos anos 80 sabe que é uma década que não quer ir embora de nossas mentes e de nossos corações. Para reviver e matar as saudades daquela época, Bruce Gomlevsky, em uma interpretação espetacular e emocionante em um teatro musical biográfico e documental, retrata a vida e a obra de Renato Russo - líder da banda Legião Urbana e o maior gênio da música popular brasileira dos anos 80. Com o texto de Daniela Pereira de Andrade e direção do premiado Mauro Mendonça Filho, o musical emociona o público. 
 
Bruce  Gowlevsky , em uma interpretação belíssima no musical
 
O MUSICAL QUE CONQUISTOU O BRASIL E ETERNIZOU O NOME DE RENATO RUSSO 
Através de “Renato Russo - O Musical”, Bruce Gomlemvsky, esse excelente e competente ator, diretor, produtor, cantor, professor de teatro, com uma grande trajetória e experiência no teatro e na TV, não somente homenageia esse gênio, mas eterniza o nome de Renato Russo, líder da Legião Urbana, no rock brasileiro. Através de suas letras filosóficas de amor, revolta, loucura e alegria, Renato influenciou toda uma geração e 20 anos após sua morte ainda deixa um legado musical riquíssimo para o Brasil. O espetáculo está completando 10 anos de estrada, com mais de 350 apresentações, que já foram assistidas por mais de 200 mil espectadores, em 40 cidades do Brasil. 
 O Ator canta com uma banda aí vivo vinte duas músicas de Renato Russo
 

OPORTUNIDADE ÚNICA / EMOÇÃO DO PÚBLICO 
 Para quem não conhece a vida e a história de Renato Russo, essa é a grande oportunidade; para quem já conhece, é hora de fazer uma viagem no tempo, nas fases importantes dos anos 80 e relembrar músicas marcantes de toda uma década, rememorar as eleições diretas, o movimento pela liberdade de expressão, drogas, sexo, AIDS, Renato e seus valores, seus períodos de crise, suas qualidades e poesia. O público assiste ao musical com muita devoção, onde o ator interage com a plateia o tempo todo, em uma atmosfera bem intimista, cantando juntos vinte e duas músicas. São realmente notórias as lágrimas e o sorriso de cada espectador que entra em uma conexão direta com os anos 80 através das canções e das belíssimas letras de Renato Russo, na voz e na interpretação incomparável de Bruce Gomlevsky, onde os gestos, os movimentos de corpo, os figurinos e uma banda ao vivo, trazem à tona a atmosfera da época. O final do espetáculo e realmente emocionante quando os espectadores aplaudem de pé com lágrimas escorrendo pelas faces, os aplausos são infinitos. 



 
 
 
 
 
 
 
O musical é muito comovente e fica evidente a eternização de Renato Russo e dos anos 80. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teatro Riachuelo: Renato Russo – O Musical. 
Endereço: Rua do Passeio, 38/40 – Centro – Rio de Janeiro/RJ 
20021-290 
Temporada de 12/01 a 19/02 / Quintas- Sábados e Domingos às 20.30h