sexta-feira, julho 17, 2015

Espaço Motor

João Mendes


 

 
 
 
 
 
 
                                     AUDI Q3, O LÍDER RENOVADO
 
 
Com previsão de ser produzido no Brasil o Audi Q3 é um dos carros da marca alemã que mais vende, é seu utilitário esportivo de entrada que em termos de espaço concorre com muitos lançamentos que aconteceram no Brasil este ano, mas em termos de tecnologia e sofisticação dá um banho na concorrência nacional e até por ser um veículo premium evidentemente custa mais caro e é mais exclusivo.

O utilitário esportivo que lidera no segmento dos importados foi reestilizado na sua versão 2016 e o mais importante é a chegada  da versão de entrada com motor 1.4 TSFI, de 150 cavalos e câmbio S-tronic de 6 velocidades ao preço de R$127.190, isso vai fazer crescer ainda mais as vendas do modelo que com esse motor faz 10, 7 km/l de gasolina na cidade e 12,7 km/l na estrada. Na estrada o comportamento dinâmico é ótimo, apesar de ter controle de estabilidade e tração, enquanto eles não são ativados é muito gostoso dirigir com tração traseira e se sair do limite os dispositivos de segurança se manifestam e consertam tudo, é muita segurança. Essa versão de entrada também tem o suave câmbio de dupla embreagem, 6 marchas, sequencial, onde você coloca a alavanca na opção “DRIVE” e esquece porque ele faz tudo sozinho e na hora certa. Em algumas versões esta disponível o shift paddle, se quiser uma tocada mais esportiva é só trocar as marchas manualmente, e com precisão, nas borboletas que ficam atrás do volante. O conforto continua o mesmo para 4 adultos e o acabamento é aquele de primeira da marca alemã.
 
As lanternas de led na traseira e os leds dos farois dianteiros, que são de Xênon, dão personalidade ao carro  e foi integrado ao farol dianteiro o farol de neblina. A versão de entrada, 1.4 Attraction, já é um luxo mas tem a 1.4 Ambiente, com ar digital, fechamento elétrico do porta-malas, teto solar e mais alguns luxos por R$144.190. Tem também as outras opções  de motorização que são: 2.0 L de 180 cavalos e 2.0 TSFi de 220 cavalos. Esta última equipa a versão top, Ambition, que custa R$190.190 e que vou esmiuçar em outra oportunidade.

 
VENDAS DA PORSCHE

Um total de 21.000 carros da marca Porsche foram vendidos no mundo inteiro no mês de junho. A China é quem lidera com 5.682 unidades comercializadas depois vem os Estados Unidos com 4.224, a Alemanha com 2.499 e o Brasil esta na conta da América Latina e Caribe com 351 unidades em junho, um crescimento de 28,2% em relação ao mesmo mês em 2014. Esta cada vez mais fácil ver um Porsche na rua.

SEDE DO MOTO CLUBE DO BRASIL EM PERIGO

Responsável pela organização das competições do motociclismo do Estado do Rio de Janeiro por décadas o Moto Clube do Brasil teve fase áurea mas depois foi substituído, no final dos anos 1970, pela FEMERJ, Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro. Sua sede na Rua Ceará, na Praça da Bandeira, continuou e receber seus associados por um bom tempo e estava instalada nela uma tradicional oficina de motonetas. De uns tempos pra cá a oficina fechou e a sede também esta fechada. Uma pessoa, na maior cara de pau, entrou com um processo para passar a escritura da sede para seu nome particular, alegando uso capião. Conta que esta pessoa deu um dinheiro para a oficina de motonetas se desalojar do imóvel e agora quer que a tradicional sede, doada para o Moto Clube do Brasil na década de 1930, seja sua. Inacreditável ! Como pode isso ? Motociclistas antigos, grupos tradicionais e pilotos de várias gerações estão se mobilizando para que isso não aconteça.

MOTOS NO “CORREDOR”

André Garcia, jornalista e Advogado especialista em Gestão e Direito de Trânsito, é dos que luta pela legalização do uso do corredor, entre os carros, pelas motocicletas. Segundo ele a Austrália legalizou a utilização de corredor e diante do aumento dos movimentos “pró-corredor” nos EUA, a Universidade de Berkeley na Califórnia realizou estudo amplamente divulgado pelos meios de comunicação.  Numa matéria do periódico Los Angeles Times o assunto se esgota, já que foram analisados 6.000 (seis mil) colisões entre outubro de 2012 e agosto de 2013 dos quais constatou-se que apenas 3% estavam em corredor, outros 97% se dividem com abalroamento da motocicleta na traseira do automóvel ou do automóvel na traseira da motocicleta ou, ainda, a motocicleta sendo prensada entre dois automóveis, virando “sanduíche” do acidente. O estudo serve de base para que seja sancionado lei que torne regular ou legal a utilização do corredor naquele Estado, que já é utilizado com apoio da Polícia Rodoviária da Califórnia (CHIP´S) e que segundo o órgão máximo do trânsito dos EUA – NHSTA Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário – ocorre 30% menos acidentes do tipo no Estado da Califórnia em comparação a outros Estados que ainda são inflexíveis em relação a utilização do corredor. Aqui no Brasil tramita projeto de lei proibindo as motos no corredor sem base em estudo nenhum. As motos no corredor são uma realidade e segundo André Garcia “Até quando nossos nobres Congressistas vão insistir em “tapar o sol com a peneira”?”. Esta causa eu apoio.