sexta-feira, julho 29, 2016

Mulheres Lindas, Felizes e Poderosas

Márcia Schweizer







-“É assim que me sinto - linda, feliz e poderosa” – afirma a bela libriana Tula Bravo, hoje entrevistada nesta coluna.

E ressalta, com convicção, que está solteira e não se preocupa com a opinião alheia sobre o seu relógio biológico. Sente que a pressão da sociedade é grande com as mulheres que não se importam com a maternidade, que não acreditam que isso seja a coisa mais importante na vida delas. Mas diz que é uma opção sua e que ninguém tem o direito de decidir por ela, ainda mais que se sente na obrigação de mostrar ao mundo feminino que a mulher tem direito ao livre arbítrio.

Foi casada em Nova York (USA) e foram felizes por seis anos. Sempre se cuidou para continuar cada vez mais bonita e atraente, mas isso não foi o suficiente para que a união perpetuasse. Talvez por sua decisão de não ser mãe, que era contrária ao desejo de seu companheiro.




Mas sua independência, tanto financeira quanto pessoal, fez com que Tula se sentisse solta para trilhar seu caminho e ampliar seu horizonte, adquirindo a liberdade que necessitava para ser feliz.
Tula Bravo é carioca, empresária do ramo de Climatização e tem como hobby malhar, o que faz há 14 anos. Em sua rotina semanal não pode faltar seus congelados (da Fit Cuisine), sua Academia (Xtreme Studio), seu terapeuta e o encontro com as amigas para uma balada ou um restaurante bacana (o Paris 6 é o preferido). Adora Alanis Morissete; o Sushi do Manekineko do Casa Shopping; as roupas da Kimika e Red Bull. Uma vez por ano reúne a família em um Cruzeiro que desbrava os mares, aliando alegria, camaradagem, descontração e felicidade. Gosta de ir ao cinema De Lux do New York City, sendo os filmes de Woody Allen seus prediletos e não dispensa uma boa companhia e a pipoca doce como aliada. Adora viajar para Natal (RN), mas seu próximo roteiro será para a Suíça.






Muito bonita, elegante, mulher que encara a vida sem medo, que luta por seus ideais, que conhece seus direitos, mas nunca se esquece dos seus deveres, que sonha com um mundo livre de preconceitos, mas que quer mesmo é ser feliz – esta é Tula Bravo, a “Mulher Linda, Feliz e Poderosa” desta coluna.