quarta-feira, agosto 17, 2016

Coluna Social

Flávia Anarí

Os Jogos Olímpicos 2016
Continuamos com nossa homenagem às Olimpíadas 2016 que estão acontecendo nesta “Cidade Maravilhosa”, que é o Rio de Janeiro. Não podemos deixar de falar sobre alguns acontecimentos que chamam a atenção dos turistas e cariocas que passeiam pelos locais dos eventos ou vão aos estádios, assim como das pessoas que acompanham os jogos pela televisão. O clima nas ruas e dentro dos estádios tem sido de muita calma e confraternização, o que leva o nome do Brasil ao exterior como um país de paz e de pessoas alegres e amigas. A cidade está fervilhando de gente que aprecia o Porto Maravilha, visita o Museu do Amanhã com sua linda vista para a Baía de Guanabara, admira a tocha Olímpica da Candelária, deslumbra-se com a beleza de Copacabana, frequenta os bares e restaurantes apreciando a caipirinha que é o símbolo da bebida nacional e vai às casas temáticas de países como México, Catar, Áustria, Suíça, Japão, Austrália, Colômbia, dentre outras, para provar suas comidas e bebidas típicas. Tudo isso explica o sucesso dos Jogos Olímpicos Rio 2016.  Infelizmente a coluna tem que ser feita com alguma antecedência, motivo pelo qual não podemos dar notícias mais recentes dos jogos e dos acontecimentos.
* O transporte carioca está de parabéns, com um ótimo entrosamento entre o BRT, o Metrô da Barra da Tijuca (linha 4) e o VLT e os trens da Central do Brasil. Fazendo baldeações podemos nos locomover facilmente para todos os locais dos jogos, assim como chegar à Zona Sul, ao Centro da Cidade e a Deodoro sem transtornos, desde que não seja com veículo próprio e que tenhamos o cartão olímpico para os transportes.

* As atletas desta olimpíada estão deixando os marmanjos de boca aberta, de tanta competência aliada à beleza. Dentre as mais gatas podemos citar Lorena Molinos (nado sincronizado), Jade Barbosa (ginástica artística), Sheilla (vôley), Amanda Simeão (esgrima), Jaqueline (vôley), Natália Gaudio (ginásticas rítmica), Luiza Almeida (hipismo), Ingrid de Oliveira (salto ornamental), Agatha (vôley de praia) e as gêmeas Bia e Bianca (nado sincronizado). São tantas as belas que nem dá para enumerar as estrangeiras. Mas vejam, no final da coluna, como são lindas as trigêmeas idênticas da Estônia que concorreram juntas (umas contra as outras) na Maratona do dia 14/08 acontecida nas ruas do Centro do Rio.

* Mas nem só os marmanjos estão admirando as esportistas. As mulheres também babam com a beleza dos atletas, que além de serem lindos têm um ótimo desempenho. Arthur Nory (ginástica artística), Leonardo de Deus (natação), Thiago Alves (vôley), Petrix Barbosa (ginástica olímpica), Marcelo Chierighini (natação), Edson Isaías (canoagem), Felipe Perone (polo aquático), Gustavo Albuquerque (rúgbi), Hugo Parisi (saltos ornamentais), isso só para falar dos brasileiros.

* O homem mais rápido do mundo, o jamaicano Usain Bolt está encantando os brasileiros e até dançou samba com uma passista, tirou selfies na coletiva de imprensa, gargalhou com um rap feito por um jornalista norueguês e fez piadas com o compatriota Asafa Powell. Os brasileiros admiram muito Bolt e estão felizes com o sucesso que ele conseguiu nestas Olimpíadas.

* Os Estados Unidos, como sempre, estão com o maior número de medalhas destes jogos. O motivo é que os esportes lá são levados a sério desde o ensino básico e os alunos que se dedicam são incentivados pelo Governo recebendo bolsa de estudos, alimentação, transporte e todo o apoio necessário. Gostaríamos que o Brasil seguisse este exemplo, pois até o momento estamos com ótimos desempenhos de nossos atletas que quase sempre lutam sem auxílio do Estado, mas ganhamos poucas medalhas em comparação com os USA. Claro que é devido ao pouco caso dos nossos governantes!

* Parabéns a Rafaela Silva do judô pela sua conquista nos jogos olímpicos 2016. Aliás, as mulheres estão fazendo bonito nesta olimpíada. Mesmo sem todos os resultados finais, temos que bater palmas para as meninas do futebol feminino, do vôley de praia, do vôley de quadra, do basquete, do atletismo, da natação, do hipismo, do atletismo, do nado sincronizado, da ginástica rítmica e de tantas outras modalidades que se sacrificam para nos encantar e para incentivar a juventude brasileira a seguir seus exemplos de vida. Não importa quem ganhou medalha ou não. O importante mesmo é o exemplo que essas moças e todos os atletas estão dando para nossa juventude. Sabemos que os jovens que se dedicam ao esporte não se metem com drogas e têm uma vida sadia e honesta.