quarta-feira, agosto 24, 2016

Coluna Social

Flávia Anari

Continuamos, ainda esta semana, com a nossa homenagem aos Jogos Olímpicos Internacionais de 2016 que foram realizados com muito sucesso aqui na cidade do Rio de Janeiro e que só trouxeram motivo de orgulho para os brasileiros e alegria para quem veio assistir.

Tudo correu bem, sem o temido terrorismo que tanto afligia as autoridades militares, sem as doenças que seriam transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e sem grandes perigos para os turistas que se sentiam inseguros numa cidade que é conhecida pelos constantes assaltos. A saudade agora bate forte, mas ainda teremos os Jogos Paralímpicos, que temos certeza fará o mesmo sucesso dos Jogos Olímpicos. Mas isso dependerá muito de você, de sua presença, de sua vontade de assistir e de prestigiar esses jogos.

*     Os Estados Unidos ficaram em primeiro lugar na conquista de medalhas nos Jogos Olímpicos de 2016, seguidos pela Grã Bretanha, China, Rússia e Alemanha. O Brasil ficou em décimo terceiro lugar, conseguindo o maior número de medalhas de todos os jogos olímpicos que competiu até hoje: 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze.

*      No total, o Brasil ganhou 19 medalhas e os responsáveis por estas conquistas foram os seguintes atletas: Isaquias Queiroz – canoagem de velocidade – conquistou duas medalhas de prata e uma de bronze (num total de três medalhas na mesma olimpíada); Thiago Braz – atletismo – conquistou ouro no salto de vara e ainda estabeleceu novo recorde olímpico com 6,03m; Rafael Silva, mais conhecido como Baby – judô – bronze na categoria peso - pesado; Robson Conceição – boxe- o baiano conquistou a medalha inédita de ouro para o Brasil na categoria leve (até 60 kg); Alison e Bruno – vôlei de praia – dupla brasileira atual campeã mundial de vôlei de praia que bateu os italianos Nicolai e Lupo por 2 sets a zero, levando a quinta medalha de ouro para o Brasil; Rafaela Silva – judô – ganhou a medalha de ouro na categoria peso leve. Muito amada pelos brasileiros por ser “a cara do Brasil” (negra, pobre e Silva); Mayara Aguiar – boxe – bronze na categoria meio-pesado, já havia ganho um bronze em Londres; Arthur Zanetti – ginástica artística – conquistou a prata nas argolas. Já havia sido campeão olímpico em Londres, também nas argolas; Poliana Okimoto – maratona aquática – conquistou o bronze; Arthur Nory e Diego Hypolito – ginástica artística – os dois brasileiros subiram ao pódio ao mesmo tempo para receberem as medalhas: Diego recebeu a prata e Arthur a bronze na ginástica de solo masculino; Felipe Wu – tiro esportivo – recebeu prata na modalidade pistola de ar 10m; Martine Grael e Kaena Kunze – vela – conquistaram ouro vencendo a regata decisiva da classe 49er FX com um desempenho brilhante; Ágatha e Bárbara – prata no vôlei de praia feminino; Seleção Masculina de Futebol – contra a Alemanha conquistou o ouro inédito nos pênaltis; Maicon de Andrade Siqueira – taekwondô – garantiu o bronze inédito para o Brasil; Seleção Masculina de Vôlei – uma das melhores seleções de vôlei do mundo, apesar de não conquistar o ouro olímpico desde Atenas 2004, mas ficou com o ouro em 2016. Parabéns a estes atletas brasileiros que tanto lutam pelos esportes que se dedicam.

*     Os jornais europeus e dos Estados Unidos só têm elogios para os jogos acontecidos no Brasil. Foram muitos os louvores destacando a alegria dos brasileiros, sua hospitalidade, seu calor e amizade, a organização dos jogos, a beleza da cidade, os escores alcançados e a grandeza das cerimônias de abertura e de encerramento sem enormes gastos financeiros.

*    Neymar é o atleta com a foto mais curtida nas redes sociais, principalmente depois que o futebol brasileiro conquistou seu primeiro ouro nas olimpíadas. Fala-se muito sobre uma possível volta dele com a atriz global Bruna Marquesini, depois que ele subiu na arquibancada para abraçar sua ex-namorada. Ele disse em declaração à TV Globo: “Prometi para uma pessoa que se fosse campeão eu iria até lá na arquibancada”. Só não revelou quem era essa pessoa.

*     O nadador americano Ryan Lochte que fez uma declaração falsa sobre ter sido alvo de assalto durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro está pagando caro por sua mentira, pois já perdeu quatro de seus principais patrocinadores: a marca de materiais esportivos de natação Speedo USA, a empresa de estética Syneron Candela, a marca de roupas Ralph Lauren e a fabricante de colchões Airweave. A Speedo USA doará cerca cento e sessenta mil reais (cinquenta mil dólares) do valor pago a Lochte à Save The Cildren, uma instituição global de caridade parceira da matriz de Speedo, para crianças do Brasil.

*     O presidente do Comitê Tóquio 2020, Toshiro Muto, elogiou os Jogos Rio 2016 e disse que o Brasil sediou muito bem o primeiro Jogo Olímpico da América do Sul. Alega que quer aprender com os brasileiros como fazer uma apresentação e um encerramento tão bonitos e gastando bem menos do que os demais países que já sediaram Olimpíadas. Disse também que a Casa do Japão, a casa temática que está montada na Cidade da Música na Barra da Tijuca recebeu cerca de 50 mil pessoas e é uma forma de mostrar o Japão ao Mundo, para que conheçam o país que sediará a próxima Olimpíada, em 2020.