terça-feira, setembro 13, 2016

Poesia, Prosa & Entrelinhas

Gisele Lemos











Hoje citarei o poeta da saudade, Casimiro José Marque de Abreu, e o seu trabalho lírico, em versos e poemas.  O Poeta faleceu aos 23 anos, nos arredores do mesmo local onde nasceu, na cidade de Barra de São João, RJ, 1837/1860.







Casimiro de Abreu foi um importante poeta brasileiro do Romântismo, suas poesias fizeram sucesso em Portugal além do Brasil. Primaveras foi seu único livro de poesias.



Saudades

Casimiro de Abreu

Nas horas mortas da noite
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar;
Quando a lua majestosa
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa
Nas águas se vai mirar!

Nessas horas de silêncio,
De tristezas e de amor,
Eu gosto de ouvir ao longe,
Cheio de mágoa e de dor,
O sino do campanário
Que fala tão solitário
Com esse som mortuário
Que nos enche de pavor.

Então — proscrito e sozinho —
Eu solto aos ecos da serra
Suspiros dessa saudade
Que no meu peito se encerra.
Esses prantos de amargores
São prantos cheios de dores:
— Saudades — dos meus amores,
— Saudades — da minha terra !


Acontecimentos


Poetas do Rio de Janeiro hoje estão consternados pelo falecimento do querido Romildes Meirelles.  Grande sonetista que chegou ao Rio de Janeiro em 29 de junho de 1943 e foi morar na Tijuca. No ano de 1980, passou a morar na Baixada de Jacarepaguá, no bairro  Praça Seca, onde residia.










O que nunca faltou em sua vida foi atividade cultural, estive com o poeta em vários locais onde o apreciei declamando, já com seus 90 anos.  Atravessava o Rio de Janeiro com leveza, Lapa, Barra da Tijuca, Copacabana e Gávea para nos entreter com sua poesia e histórias. Era além de poeta, sonetista, prosador, trovador, declamador de seus versos e editor de livros.
Romildes se definia assim:



"Sou Romildes de Meirelles
nascido lá na Bahia.
Moro à Rua Pedro Teles
um recanto de poesia.
Natural de Salvador
sou soteropolitano.
Sou poeta e prosador
como todo bom baiano."


Poetado em seu site para Eno Theodoro Wanke nesse ano


O Poeta não morre
Romildes de Meirelles (Soneto do livro Entardecer)

Parte um poeta!...Luto na poesia!...
Mas não termina a vida do escritor, do artista da palavra, trovador

E poeta que dá-nos a alegria,
De seus versos, cantando todo amor

Que  lhe vain a alma, e o canta com mestria.
Não, não morre o poeta.

Este escultor da palavra, do amor, e da harmonia,

Há de viver por toda a eternidade
Deixando aqui apenas a saudade

Entre as palavras que podemos vê-las,
Compondo estrofes lindas com seus versos,

Que se amontoam pelo céu dispersos
No rastro luminoso das estrelas.

Nesse último sábado aconteceu o Sarau Café & Poesia Revista. Encontro de Poetas e Artistas no Doce Lembranças, no Recreio dos Bandeirantes, RJ. O grupo declamou poesias, conversou sobre Teatro, Cinema e Literatura. Poetas e Jornalistas presentes comigo: 




Márcia Schweizer, Denise Machado,(jornalistas) Valleska Cabral, Lenita Holtz , Rodrigo de Castro, Adriano Nascimento.