quarta-feira, setembro 07, 2016

Poesia, Prosa & Entrelinhas

Gisele Lemos












Raimundo da Mota de Azevedo Correia nasceu em 1859, em Barra da Magunça no Maranhão, e faleceu em Paris, em 1911. 









Era magistrado, professor, diplomata e poeta
. Estudou no Rio de Janeiro no colégio Pedro II e formou-se em direito em São Paulo.  Raimundo Correia pertenceu ao estilo de época Parnasianismo, reconhecido a partir do livro de poemas "Sinfonias"; prefaciado por Machado de Assis.








Nesse livro está seu soneto mais conhecido:





"As pombas".  Foi membro-fundador da Academia Brasileira de Letras, em 1897.
As Pombas
Raimundo Correia
Vai-se a primeira pomba despertada…
Vai-se outra mais… mais outra… enfim dezenas
De pombas vão-se dos pombais, apenas
Raia sanguínea e fresca a madrugada.
E à tarde, quando a rígida nortada
Sopra, aos pombais de novo elas, serenas,
 Ruflando as asas, sacudindo as penas,
Voltam todas em bando e em revoada.
Também dos corações onde abotoam,
Os sonhos, um por um, céleres voam,
Como voam as pombas dos pombais;
No azul da adolescência as asas soltam,
Fogem… Mas aos pombais as pombas voltam,
E eles aos corações não voltam mais.

Pássaro Peixe
Gisele Lemos
Gorjeiam rapinas penas
Estreladas faces ocultas
Entrelaçam, pio e guelra,
O norte oculta, água e sede
Revestida na imagem que tece
Fio no azul abrande
Adormece a melra
O vento amortece.