quarta-feira, maio 31, 2017

Vereador João Mendes de Jesus, relator da CPI do Previ-Rio, quer investigação com responsabilidade


A Câmara Municipal do Rio de Janeiro instalou, hoje, a Comissão Parlamentar de Inquérito do Previ-Rio. O presidente da CPI é o vereador Paulo Pinheiro (Psol) e o relator é o vereador João Mendes de Jesus (PRB). A Comissão terá por finalidade investigar e analisar questões, convocar pessoas e sugerir ações, por meio de relatório junto ao Judiciário, sobre o que está a ser investigado, no caso o rombo financeiro de R$ 2,6 bilhões, que praticamente está a inviabilizar o Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro.
 
A instalação da CPI contou com as assinaturas de 18 vereadores, número que perfaz um terço mais um dos parlamentares, que agora estão a participar de instrumento que vai permitir a apuração de possíveis irregularidades junto ao Tribunal de Contas do Município (TCM), bem como ouvir os ex-gestores do Previ-Rio, além de também convocar autoridades e administradores que, de uma forma ou de outra, tenham conhecimento do processo que levou à crise o fundo de previdência dos servidores do Rio de Janeiro.
“O município do Rio tem 120 mil servidores, 66 mil aposentados e 13 mil pensionistas, que, no decorrer dos anos, fizeram uma poupança no Previ-Rio. Evidentemente que um rombo de R$ 2,6 bilhões, como afirmam os especialistas, bem como observou o prefeito Marcelo Crivella logo após assumir a Prefeitura tem de ser esclarecido. Porém, haveremos de ser prudentes e ponderados para que possamos superar essa grave crise, além de apontarmos eventuais responsáveis pelo estado pré-falimentar que se encontra no momento o Previ-Rio” — afirma o vereador João Mendes de Jesus, relator da CPI.
Na próxima segunda-feira, dia 5, segundo o parlamentar do PRB, os primeiros depoentes comparecerão à CPI. João Mendes de Jesus espera, junto com seus colegas, dar início aos esclarecimentos sobre o porquê de o Previ-Rio ter chegado a esse ponto, a enfrentar tão séria crise. O político republicano asseverou que as soluções para o presente e o futuro de uma previdência tão importante aos servidores e, com efeito, à sociedade carioca tem de ser encontradas, a fim de saná-la administrativamente e financeiramente.
“Entretanto, teremos calma e diligência para que não erremos e, por sua vez, sejamos injustos, negligentes e omissos. Os técnicos do TCM apontarão o que houve, as explicarão, porque, inclusive, já fizeram inspeções que evidenciaram o rombo no Previ-Rio. Queremos o melhor para o contribuinte carioca e consideramos que o trabalho que faremos na CPI não apenas apontará os erros e as pessoas que eventualmente venham ser punidas, mas, sobretudo, a CPI cooperará para encontrar soluções para o Previ-Rio, o Funprevi e a todos os servidores” — conclui o vereador João Mendes de Jesus.